segunda-feira, julho 01, 2013

A ponte onde os cães cometem suicídio

Em uma vila escocesa chamada Milton, existe uma ponte vitoriana que tem chamado a atenção de  cientistas e curiosos. Desde os anos 60, dezenas de cachorros são simplesmente induzidos a pular de cima da ponte. Foram muito anos que a principal teoria para os acontecimentos era a pura ignorância, no entanto, cientistas parecem ter solucionado esse mistério.





A ponte foi construída em 1859. Ela é  ladeada por três torres com um largo parapeito de pedras importadas com mais de um metro de altura. Isso impede os animais de verem o rio e também anulam a sua percepção da altura.
O primeiro suicídio ocorreu logo no início da década de 1960. Na ocasião, diversas testemunhas relataram a súbita e estranhas reação de alguns cães quando chegavam no meio da ponte. Os cães, sem nenhum motivo aparente, simplesmente corriam e saltavam direto por cima do parapeito (às vezes subiam nele) e iam parar nas pedras ao lado do riacho sob a ponte. Quando alguns cães sobreviviam (raras vezes), mesmo gravemente feridos, retornavam ao centro da ponte e se jogavam novamente. Mas por que faziam isso?



Claro que ao longo dos anos diversas teorias surgiram para tentar explicar o mistério. Desde forças sobrenaturais até magnetismo ou campos de energia vindos das pedras. A teoria mais aceita – e menos absurda – é a seguinte:
O isolamento visual causado pelos muros da ponte devia colocar em alerta cães com sentidos – audição e olfato – mais desenvolvidos. Depois de analisar e descartar a origem dos sons de alta frequência dos postes de luz nas proximidades, os cientistas concentraram seus estudos sobre o cheiro dos animais.
Constataram que nem todas as raças de cães sofrem do chamado suicida. Somente os caçadores de grande focinho: Labrador, Collie, Golden Retriever pulavam da ponte. Podia ser o cheiro de alguma coisa ou animal?

Depois de muitas pesquisas, os pesquisadores descobriram que os suicídios começaram na mesma época da invasão de visons americanos na região. O vison possui uma glândula anal que segrega uma substância bastante odorosa, usada para marcar seu território, que deixa os cães malucos. A área da ponte é um habitat natural do animal e o pequeno riacho não é muito abundante em água, tornando o conteúdo ainda mais concentrado a ponto de atrair mais profundamente os cães que cruzam a ponte.

Um comentário:

Elisabete Delfini disse...

Interessante.
Obrigada por compartilhar
abraços