sábado, junho 29, 2013

O maior cemitério do mundo

Wadi-nos-Salaam, que significa, literalmente, o Vale da Paz, é um cemitério islâmico localizado na cidade sagrada de Najaf, no Iraque. O cemitério ocupa uma área de 1.485,5 hectares e contém milhões de corpos, tornando-se um dos concorrente mais forte para o título de o maior cemitério do mundo. Si Najaf é uma das maiores cidades do Iraque, com uma população de cerca de 600.000 habitantes. Mas a cidade dos mortos mantém os restos mortais de milhões de pessoas, que se estende por até 10 quilômetros ao longo do vale.

O cemitério Wadi Al-Salam é também o cemitério mais antigo ainda em funcionamento, pois hoje em dia ainda são realizados sepultamentos no local, fato que já ocorre a pelo menos 1400 anos. O cemitério tem importância na crença xiita, que acreditam que as almas de todos os homens e mulheres fiéis deve ser mandados para lá para lá. Muitos profetas, reis, príncipes e sultões jazem neste cemitério, incluindo o do Profeta Hud, o Profeta Saleh, e Ayatullah Sayyid Muhammad Baqir al-Sadr, assim como os restos mortais do príncipe de fiéis, Ali Ibn Abi Talib.




O cemitério Wadi Al-Salam contém túmulos construídos com tijolos e gesso, possuindo diferentes níveis. Existem grandes criptas familiares construídas pelos ricos, com muitos detalhes e por vezes adornados por cúpulas. Há também cofres subterrâneos que pode ser acessado por escadas. Criptas de 1930 e 1940 têm seu próprio estilo, subindo até 10 pés com topos arredondados, para que as pessoas possam vê-los sobre os seus "vizinhos".

Durante a guerra do Iraque em 2003, os combatentes fortemente armados da milícia iraquiana freqüentemente usaram o cemitério para esconder e para realizar emboscadas as unidades inimigas. Os norte-americanos não podem entrar na área, porque ele é cheio de caminhos sinuosos e mausoléus subterrâneos, transformando o local em um verdadeiro labirinto mortal. Quando os rebeldes se refugiaram nos espaços estreitos, entre os túmulos, o exército iraquiano impiedosamente demolida seu caminho através das sepulturas. Desde esse dia muitos túmulos destruídos podem ser avistados no local, e os entulhos acabaram espalhados a beira das vias públicas.

A violência que tem sobrecarregado o Iraque desde 2003 levou a uma enorme expansão do cemitério, o inchaço é em 40%. O cemitério tem crescido a cada ano desde 2004, primeiro com os confrontos contra as forças americanas, então as guerras sectárias de 2006-2007, quando os xiitas e os sunitas estavam matando uns aos outros em uma taxa elevada, e, finalmente, nas batalhas de 2008 com o exército iraquiano. Nos últimos anos, no entanto, seu crescimento tornou-se mais lento.








Nenhum comentário: