sexta-feira, maio 17, 2013

O passo a passo científico de como uma pessoa fica bêbada



Beber muito altera a personalidade de maneiras bem variadas e específicas. Algumas pessoas ficam felizes, outras ficam impulsivas, algumas choram… Provavelmente, você já presenciou, ou sentiu na pele, os efeitos da bebedeira.
O álcool afeta todos os órgãos do corpo, mas seu efeito sobre o cérebro é o que determina o nosso comportamento. E as nossas emoções raramente escapam ilesas.
Para você ou seus amigos que costumam se exceder quando vão beber, aqui está o passo a passo científico de como uma pessoa fica bêbada.

O começo

Uma vez que a bebida alcoólica atinge o estômago, uma pequena porção é absorvida pela corrente sanguínea através da parede do estômago.
O álcool é transportado através do sangue, onde é processado pelo fígado antes de ser expelido. Porém, antes que isso aconteça, ele é capaz de atravessar a barreira hematoencefálica, o que significa que ele pode entrar diretamente no cérebro através da circulação.
Neste ponto, você vai perceber mudanças no comportamento e nos processos mentais. É aí que a diversão começa.

Ficando bêbado

Uma vez que a barreira é rompida, o álcool se instala na camada mais externa do cérebro, no córtex cerebral. Esta fina camada de células (também conhecido como massa cinzenta) cobre o cérebro e o cerebelo, e são responsáveis pelo processamento de informações, pensamentos sensoriais, e por iniciar a maioria dos nossos movimentos musculares voluntários.
O álcool atrapalha o fluxo normal de neurotransmissores através de conexões sinápticas do córtex, e entramos em um estado alterado.
A primeira vitima são as nossas inibições, que nos deixam com a sensação aconchegante que todos ao redor são amigos. Tornamo-nos mais falante e confiante, e nosso bom senso começa a desaparecer.
Em seguida, o álcool começa a mergulhar no sistema límbico, que são algumas estruturas que formam o centro emocional do cérebro. Uma vez que o sistema límbico é afetado, parabéns! Você está oficialmente bêbado.

O resultado: “zuzo bem!”

O álcool interrompe os sinais elétricos entre as sinapses, nós não conseguimos interpretar as informações corretamente, e os processos são jogados em fluxo. O sistema límbico, que normalmente mantém as nossas emoções sob controle, agora nos sujeita a mudanças de humor e estados exagerados.
Isto pode manifestar-se como mal-entendido em relação a uma pessoa (a causa da maioria das brigas de bar), ampliação dos sentimentos (a causa da maioria dos namoros), ou, simplesmente, dizer algo embaraçoso ou lamentável (a causa da maioria dos micos).
O sistema límbico também é responsável pelas memórias de longo prazo. Por estar tão afetado, há a possibilidade adicional de que você não seja capaz de lembrar o que disse ou fez no dia anterior.

Fonte: http://www.liberoalimentos.com.br/

Nenhum comentário: