quarta-feira, dezembro 30, 2009

Confira as 10 maiores bizarrices do Poder em 2009

Um ano de escândalos no Congresso Nacional, polêmica no Judiciário e apagão energético gerou muitas cenas inusitadas na capital federal. A editoria de Brasil do portal Terra organizou um ranking dos 10 episódios mais bizarros de 2009. Confira:

10. Mercadante volta atrás
Em agosto, o senador Aloizio Mercadante decidiu colocar seu cargo de líder do PT na Casa à disposição. Irritado com uma manobra do partido para livrar o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), de ações no Conselho de Ética, disse, no site de microblog Twitter, que sua decisão tinha caráter "irrevogável". Após se reunir com o presidente Lula, Mercadante voltou atrás em sua renúncia. "Errei ao anunciar uma renúncia irrevogável", disse.

9. Cacique Cobra Coral e o apagão
Com a dificuldade do governo de dar uma explicação sobre o apagão que atingiu 18 Estados, o senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) decidiu pedir a convocação da médium Adelaide Scritori, que diz receber o espírito do cacique Cobra Coral, para a Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado. A Fundação Cobra Coral é conhecida por supostamente prever e evitar catástrofes naturais. O requerimento gerou bate-boca entre senadores, mas foi aprovado. Dias depois, a oposição retirou o pedido.

8. Renan Calheiros x Tasso Jereissati
O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) contracenou cenas de bate-boca durante a crise do Senado. Nessa, Renan apresentava um requerimento contra o líder do PSDB, Arthur Virgílio (PSDB-AM), por quebra de decoro quando Tasso Jereissati (PSDB-CE) tentou defender o colega tucano. Renan, apontando para o opositor, disse: "minoria com complexo de maioria". Tasso retrucou: "não aponte esse dedo sujo para mim". As trocas de ofensas aumentaram: "eu coronel cangaceiro? cangaceiro de terceira categoria (é o senhor)", gritou o tucano. No fim da discussão, algo dito por Renan fora do microfone não agradou o tucano. "Repete o que você disse! Decoro parlamentar. Repete o que você disse."

7. Bigode vira símbolo contra corrupção
Com uma enxurrada de denúncias envolvendo o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), internautas anunciaram um movimento intitulado "greve do bigode". Com o peemedebista firme no cargo, o bigode cultivado por ele durante toda sua carreira política virou símbolo contra a corrupção. Um blog na internet com o slogan "Só tiro o meu quando o Senado tirar o dele" reuniu fotos de internautas com pelos reais ou virtuais sob o nariz.

6. Lula explica mudanças climáticas
Em destaque internacional ao cobrar dos Estados Unidos e da China metas sobre o clima, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva resolveu dar explicações sobre as mudanças climáticas durante encontro do Mutirão Arco Verde Terra Legal, em Brasília. Lula disse que a questão do clima é delicada porque o mundo é redondo e explicou que a situação seria diferente se a Terra fosse quadrada. "Se o mundo fosse quadrado ou retangular e a gente soubesse que o nosso território está a 14 mil km de distância dos centros mais poluidores, ótimo, vai ficar só lá. Mas como o mundo gira e a gente também passa lá embaixo, onde está mais poluído, a responsabilidade é nossa."

5. Suplicy mostra cartão vermelho
Depois do senador José Sarney (PMDB-AP) ter se livrado de 11 ações contra ele no Conselho de Ética, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) decidiu subir à tribuna para pedir que o peemedebista deixasse a presidente do Senado. Como um juiz de futebol, Suplicy mostrou no Plenário um cartão vermelho. Após o gesto, o senador Heráclito Fortes (DEM-PI) tomou a palavra e disse que Suplicy não estava sendo sincero e disse que o petista deveria mostrar o cartão vermelho ao presidente Lula. A partir daí, os dois começaram a travar mais um intenso bate-boca no Plenário.

4. Collor na Academia Alagoana de Letras
Com livros desconhecidos pelo público, o ex-presidente e senador Fernando Collor (PTB-AL) foi eleito, por 22 votos favoráveis e oito em branco, como "imortal" para a Academia Alagoana de Letras. Os supostos livros apresentados pela Academia tinham títulos semelhantes aos artigos escritos por Collor no jornal Gazeta de Alagoas, da família dele. Outra publicação era o discurso de posse do ex-presidente no Senado, em que fazia uma revisão sobre o que na época chamou de "injustiças".

3. Collor manda Simon "engolir" palavras
O quarto lugar das cenas bizarras também aparece na terceira posição. Eleito "imortal" pelas palavras que escreveu em Alagoas, o senador Fernando Collor, nesse episódio, ficou marcado por ter mandado o colega Pedro Simon (PMDB-RS) engolir e digerir as palavras que havia dito. Após um discurso de Simon contra Sarney, em que Collor e Renan Calheiros (PMDB-AL) foram citados, o ex-presidente alagoano tomou a palavra visivelmente irritado e disse: "as palavras que o senhor acabou de pronunciar são palavras, em relação a mim e às minhas relações políticas, que eu não aceito. E são palavras que eu quero que o senhor as engula e as digira, como julgar conveniente".

2. Suplicy desfila de sunga no Senado
Depois do cartão vermelho, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) protagonizou outra cena inusitada ao colocar, no Senado, uma sunga vermelha por cima da calça. O parlamentar atendia a um pedido da apresentadora Sabrina Sato, do programa Pânico na TV, que estava em busca de um "super-herói" na Casa. Após o episódio, o senador Romeu Tuma (PTB-SP), corregedor do Senado, abriu uma investigação para verificar se o petista havia quebrado decoro parlamentar.

1. Bate-boca no Supremo
Conhecidos pela erudição e notável saber jurídico, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) testemunharam uma cena de bate-boca entre dois de seus colegas: Joaquim Barbosa e o presidente da Corte, Gilmar Mendes. Era uma sessão comum, em um julgamento sobre a previdência pública do Paraná, quando Barbosa questionou uma suposta "sonegação de informações" em uma decisão. Mendes disse que o colega não tinha condições "de dar lição a ninguém". Barbosa rebateu, dizendo que Mendes estava "destruindo a Justiça desse País". "Saia às ruas", disse o ministro ao presidente da Corte. "Quando Vossa Excelência se dirige a mim não está falando com seus capangas do Mato Grosso", continuou Barbosa.

» Redação Terra

Um comentário:

Brasil Desnudo disse...

Esse é o Cenário dos Homens sérios que comandam o País!!

Quem é Arthur Virgílio?
Um enigmático que se postula o Homem correto no Senado.. Aos berros e com aparência de uma Translouca exibição, viu-se no escândalo do seu garotinho que estudava em Barcelona e, que ele, Virgílio, pagava com o dinheiro do Senado.,Um salário mínimo de R$10.000,00.

Renan e Tasso...
Esses dois se merecem, bem como Virgílio que fez parte do Epsódio... Qual dos três é mais coronel ou Safado.
E qual dos Três, tem às mãos mais sujas do que o outro?

Sarney!!
Esse com 54 anos de poder público.. Já pasou por todos os mais degradantes escândalos de corrupção que um só homem possa ter passado na vida toda.
Mas quem é esse homem, que tudo tem, tudo faz e nada sofre?

Lula!!
Coitado... Deve ter tomado todas ao falar que se o mundo fosse quadrado, a poluíção não passaria em terras brasileiras...
Ele tem que entrar no AaA.

Suplicy...
Esse vive uma crise existêncial depois que se separou da Marta... Está em depressão até hoje.
Mas viva sua sunga Vermelha e seu ato de protesto.
Pelo menos saiu na Mídia.

Collor na Academia...
Esse, um canalha, que sonseguiu se eleger Senador nas barbas de um partido que o arrastou de volta ao Senado.
Mas também, com a proteção de seu primo, Marco Aurélio de Mello, mais um corrupto no Judiciário Brasileiro.

Barbosa.. Coitado!!
Juiz com boas intenções, mas no meio de cobras criadas.. E olha que bem criadas e indicadas...
E além sisso, sofre ainda a pervessa DISCRIMINAÇÃO POR SER NEGRO.
Infelizmente ainda existe esse preconceito no Brasil.

Podemos esperar o que desse Povinho que governa nosso Brasil?

Marcio -RJ