quinta-feira, outubro 22, 2009

Bahia vai produzir vinhos finos com tecnologia francesa

Trazer para a Bahia a tecnologia francesa para produção, em médias e pequenas vinícolas, de vinhos e espumantes de qualidade, em sistemas de cooperativas no Vale do São Francisco e em outras regiões do Estado, a exemplo da Chapada Diamantina. Este é o objetivo do protocolo de intenções assinado pelo governo do Estado da Bahia, com interveniência da Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária, Seagri, com a Cave Coopérative des Riceys.


Pela Bahia assinaram o documento o governador Jaques Wagner, e o secretário Roberto Muniz, e Christian Jojot, presidente da Cave Coopérative des Riceys. Este foi um dos resultados da viagem da delegação baiana à França, onde participou do Salon du Chocolate e visitou as cooperativas produtoras de vinho.


“Nosso objetivo é criar condições para o acesso dos pequenos e médios produtores à industrialização, à verticalização da vitivinicultura”, (cultivo da videira destinado à produção de uvas para a elaboração de vinhos), disse o secretário Roberto Muniz.


O secretário disse que o protocolo de intenções vai permitir o estabelecimento de intercâmbio para a promoção e desenvolvimento do projeto “Pequenas e Médias Vinícolas no Vale do São Francisco”, em modelo de cooperativa, além do Projeto de Implantação de Unidades de Observação de Videiras Viníferas para a Produção de Vinhos Finos na Bahia. Esse projeto será implantado inicialmente na Chapada Diamantina.


Estudos que estão sendo elaborados pela Embrapa terão agora a cooperação e assessoria dos especialistas da Cave Coopérative des Riceys, com o objetivo de implantar Unidades de Observação com vinhedos experimentais na região da Chapada Diamantina, para avaliar o desempenho agronômico de videiras destinadas à produção de uvas para a elaboração de vinhos finos, como nova opção e alternativa econômica sustentável ao agronegócio da região.


Em agosto deste ano o presidente da Cave Coopérative, Christian Jojot, visitou a Chapada Diamantina, e dias depois a convite do secretário Roberto Muniz esteve no Vale do São Francisco onde é grande a produção de uva.

Cacau baiano dá show em Paris


“Há dois anos estive na Bahia, na região produtora de cacau, e não havia nada. Agora estou impressionado com a evolução que o Estado conseguiu, apresentando hoje um dos melhores produtos do mundo. E fico também admirado de ver como as pessoas trabalham sorrindo, demonstrando amor pelo que fazem e pelo cacau”. A afirmação é de Steffani Bonnart, um dos mais famosos chocolateiros da França, proprietário da Chocolateria Bonnart, uma indústria estabelecida em Paris há mais de 100 anos.


Ele foi um dos muitos especialistas que visitaram o estande do Brasil no Salon du Chocolate, organizado pela Associação dos Produtores de Cacau da Bahia, APC, com apoio do Ministério da Agricultura e da Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária e Ceplac.


“A participação da Bahia no evento internacional foi marcante e mostrou ao mundo que produzimos cacau de qualidade”, disse o secretário Roberto Muniz. Ele anunciou que foi celebrado um convênio de colaboração entre a Ceplac e o instituto Cirard, um centro de pesquisa tropical na Europa, equivalente à Embrapa brasileira, com o objetivo de melhorar ainda mais a qualidade do cacau baiano.


“Foi a primeira vez que o Brasil participou com destaque do Salão do Chocolate. Chamou a atenção do mundo da chocolateria e despertou o interesse de investidores”, disse Henrique Almeida, presidente da Associação dos Produtores de Cacau, APC.


Para ele, a participação do governador Jaques Wagner e do secretário Roberto Muniz serviu para demonstrar o apoio e o interesse do governo em recuperar e revitalizar a região cacaueira.

Fonte: Seagri/BA

Nenhum comentário: