sexta-feira, novembro 14, 2008

Esportes de sucesso que o Brasil detesta

Rúgbi, curling e críquete fazem parte da lista de disputas que mobilizam milhares de torcedores no exterior, mas são impopulares entre os brasileiros.

Espécie de "taco", o críquete é uma febre na Índia, mas também é forte no Reino Unido e nas colônias britânicas. O Mundial tem uma audiência estimada em 2 bilhões de telespectadores, o que coloca o evento atrás apenas da Copa do Mundo e das Olimpíadas.


Violento e apaixonante, o Rúgbi leva milhares de pessoas aos estádios, é praticado em mais de 100 países e tem como grande atração a tradicional equipe da Nova Zelândia, conhecida como "All Blacks". O objetivo básico do agarra-agarra é chegar à área dos adversários.

Tiger Woods é o atleta mais bem pago do mundo, com US$ 128 milhões anuais, quatro vezes mais do que o jogador de futebol mais rico do planeta. O norte-americano é a síntese do sucesso desse esporte que no Brasil ainda engatinha, mas que movimenta muito dinheiro. ►Leia mais sobre o golfe

Rebater a bola e marcar pontos após um jogador rodar as quatro bases: esse é o objetivo do beisebol. Presente em mais de 100 países, a modalidade é conhecida pela riquíssima liga dos EUA e pelo talento dos japoneses e caribenhos. Saiu do calendário olímpico para 2012, mas tenta voltar em 2016.


Olímpico, o hóquei sobre a grama possui grande tradição na Europa e na Argentina. É muito parecido com o futebol (com exceção do instrumento de trabalho), mas no Brasil tem muito pouca divulgação.


O badminton é o esporte de raquete mais rápido do mundo. A peteca com pena de ganso chega aos 350 km/h. Mais de um bilhão de pessoas assistiram ao primeiro jogo da modalidade nos últimos Jogos Olímpicos. Muitas delas tinham os olhos puxados.



O sumô não é olímpico e, apesar de ter sua base no Japão, é conhecido em todo o mundo. Grande parte dessa popularidade se deve às tradições do esporte e a sua peculiaridade: só pesos-pesados.


A pelota basca tem várias modalidades nas quais uma bolinha é atirada contra um imenso muro, sendo uma espécie de squash de grandes proporções. Como o nome denuncia, é amplamente praticada no País Basco, na Espanha, além de outras nações da Europa e as latino-americanas com língua espanhola.



O esqui, que é esporte olímpico, nem poderia ser popular no Brasil, onde praticamente não há neve. Mas é modalidade de milhões de amadores em todo o mundo e tem 107 federações nacionais cadastradas, inclusive a do Brasil, que realiza campeonatos brasileiros na Argentina, no Chile...


O curling nem é assim tão popular lá fora, apesar de ser olímpico. Entretanto, a modalidade merece destaque por ser tão diferente. É como se fosse uma bocha, mas jogada no gelo e com "atletas" que ficam raspando a superfície com pequenas vassourinhas para fazer o artefato deslizar mais, ou menos.

*Com informações da Abril.com

Um comentário:

Female Writer disse...

Mas com certeza, tem muitas regrinhas. Pelo menos o sumô eu não faço a mínima idéia que tanto os redondos tacam sal e o povo ainda delira, eu fico é estressada com tanta demora.

Bjus***