quinta-feira, agosto 28, 2008

Economias enterradas

MOEDA SEM VALOR
Família se desesperou ao achar dinheiro




Aposentado esconde dinheiro na terra e no colchão por 40 anos.

O sonho do ex-funcionário público José Antônio da Silva Júnior, de 66 anos, era juntar muito dinheiro, comprar uma fazenda e um jipe e oferecer uma vida tranqüila à família.

Por mais de 40 anos, ele foi economizando tudo o que ganhava. No entanto, o homem não
abriu uma conta bancária. O aposentado preferiu esconder o dinheiro no colchão e enterrar parte dele no terreno onde morava com a mulher e os três enteados, no bairro Santa Efigênia, região Centro-Sul da capital.

O plano de José Antônio só foi descoberto há dois anos, durante o processo de desapropriação, realizado pela prefeitura, para o projeto Vila Viva.

Segundo Maria Gilda de Souza, de 51 anos, enteada do aposentado, no dia da mudança, uma surpresa: três sacos com notas e moedas antigas foram encontrados escondidos no colchão do padrasto.

Porém, o dinheiro já não valia mais nada. Essa semana, durante escavações no lote onde a família vivia, mais uma parte do "tesouro" foi localizada. "Meu padrasto morreu ano passado. Ficou doente ao descobrir que todo o seu esforço foi em vão", disse Maria Gilda.

Parentes sem mansão


A descoberta do “tesouro” de José Antônio despertou na mulher dele, a dona de casa Custódia Ferreira de Souza, de 77 anos, e na enteada Maria Gilda de Souza o sentimento de desolação.
“Fomos informadas que, se o dinheiro tivesse sido trocado no tempo certo, poderíamos ter comprado uma mansão em área nobre da capital”, ressaltou Custódia, que hoje vive com a filha em uma moradia popular de dois quartos. Segundo ela, enquanto o marido escondia dinheiro, a família passava muita necessidade. (AS)

O Tempo.com

Nenhum comentário: