terça-feira, julho 29, 2008

Vinhos e suas combinações


Além de saboroso e um excelente acompanhamento para os principais pratos de uma boa mesa, o vinho tem recebido outros predicados, dentre eles, o de possuir propriedades nutricionais e de medicina preventiva. Desde algum tempo, pesquisadores vem conseguindo provar, através de experiências e estudos, que ele combate as enfermidades cardiovasculares, o colesterol, tem comprovada ação bactericida e antiviral, estimula o apetite, facilita a digestão e retarda o envelhecimento celular e orgânico.


Escolhendo o vinho certo


Quanto mais complexa a preparação do prato, mais complexa será a escolha do vinho. Uma refeição pode ter de um a cinco tipos de vinho. Para refeições entre amigos, basta um vinho tinto e um branco. Numa refeição mais sofisticada, pode haver até cinco tipos diferentes. Nesse caso, dois brancos, para acompanhar a entrada e o peixe, dois tintos para acompanhar a carne e queijos e um para acompanhar a sobremesa.

Em adegas comerciais, a escolha de suco de vinho é bastante aceitável para os que não tomam vinho propriamente dito.

TIPOS DE VINHOS & PRATO

Brancos doces
Foie gras, creme brulée, crepe suzete, torta de nozes e frutas secas

Brancos secos e aromáticos
Ostras, mariscos, crustáceos, peixes grelhados, salmão fresco, frutas

Brancos secos de boa estrutura
Frango assado, vitela, lombinho de porco, peru assado, coelho e peixes com molhos delicados

Brancos suaves
Bolos, sobremesas e doces em geral

Espumantes brut
Caviar, ostras, peixes defumados e foie gras

Rosés
Frios e crustáceos

Tintos encorpados
Caça (perdiz, galinha d'Angola e javali), pato, leitão assado, costeleta de cordeiro, cassou-let, bouef bourguignon, coq au vin, escargot, rabada, queijos fortes e curados, churrasco

Tintos leves e frutados
Massas com molho vermelho, carnes vermelhas grelhadas e bacalhau

Como servir



Um bom serviço começa pelo copo. Ele cumpre duas funções: estética, vestindo e embelezando a mesa; e funcional, facilitando a apreciação do vinho. Para isso, deve ter quatro características básicas: bom tamanho (melhor grande do que pequeno), ser liso (nada de gravações ou desenhos, que impeçam de ver a cor do vinho), ser incolor (deve mostrar o vinho e não escondê-lo) e possuir uma base alta (destacando o vinho esteticamente e impedindo que a pessoa pegue no corpo do copo, para que não transmita nem odores e nem calor)


· Uma vez aberta a garrafa de vinho, deve-se encher os copos apenas até a metade;

· Os copos devem ser dispostos à direita da pessoa, em ordem de uso, da direita para a esquerda. Primeiro, o copo do vinho branco (o menor), depois o de vinho tinto (o médio) e por último o copo grande de água;

· Quando se usa um copo só, deve-se trocá-lo toda vez que for servir um vinho de tipo diferente;

· Se o vinho for espumante, para evitar a formação exagerada de espuma e a perda de gás, basta colocar uma pequena quantidade de espumante em cada taça e completar após alguns segundos;

· O copo ou taça de espumante ideal é aquele que permite "saborear" o aspecto visual, as borbulhas. Seu formato deve ser de "tulipa" ou semelhante, mas sempre longo e alto;

· Regra básica para servir vinhos: servem-se os vinhos brancos antes dos tintos, secos antes de suaves, tintos antes de brancos doces, jovens antes de envelhecidos e inferiores antes do superior. Indo dos sabores mais delicados até os mais marcantes;

· Após as refeições, serve-se vinho do porto, em temperatura ambiente, e champanhe (sempre gelado);

· Champanhe: pode servido durante toda a refeição, da entrada à sobremesa;

· Não se pode recusar todos os vinhos de uma refeição. Tem-se que tomar ao menos um deles, mesmo que em pequena quantidade;

· Quanto se pode beber? No máximo, 5 doses por pessoa. Ou seja, uma única garrafa para duas pessoas é o suficiente.

Temperatura

Cada tipo de vinho deve ser servido de acordo com uma temperatura dita ideal para que possa ser apreciado convenientemente. Eis as temperaturas ideais para os diversos tipos de vinho.

Espumantes: (todos os champanhes) de 4º C a 6º C, sendo a menor para os demi-sec ou doces e a maior para os brut. É sempre preferível gelar o espumante em um balde.
Vinhos brancos suaves: de 6ºC a 8ºC
Vinhos brancos secos: de 8ºC a 12ºC. Os muito jovens, na menor temperatura, e os mais maduros, na superior.
Vinhos rosados secos: de 12ºC a 14ºC
Vinhos tintos jovens e ligeiros: de 14ºC a 16ºC. Esfriados, ressaltam seu sabor.
Vinhos tintos de guarda ou envelhecidos : 16ºC a 18ºC.

Abrindo uma garrafa de vinho

· Os vinhos tintos de guarda ou aqueles que permaneceram na adega por períodos superiores devem ser abertos antecipadamente (uma hora antes, por exemplo) para que haja oxigenação do vinho, resultando numa maior liberação de aromas. Este procedimento não é necessário para vinhos tintos jovens e brancos. Para abri-lo, em primeiro lugar, corte a cápsula, logo abaixo do anel do bico da garrafa e escolha um saca-rolhas especial, de preferência no formato de alavanca.

· Os vinhos espumantes: abra a garrafa, retirando-a do balde. Incline-a levemente, retire a parte superior da cápsula, retire a "gaiola de arame", girando no sentido horário e pressionando para fora, cuidando para que a rolha não escape. Depois de retirada a gaiola, gire a rolha, que começará a sair impulsionada pela pressão do líquido e deixe escapar, lentamente, evitando o estampido. O espumante aberto desta forma manterá o gás dissolvido por mais tempo e poderá ser apreciado lentamente.

Montando a sua adega

· Para acondicionar vinhos adequadamente, deve-se guardá-los inclinadamente, na horizontal (deitados) como forma de manter a rolha úmida e precipitar os depósitos no fundo da garrafa;

· As adegas devem estar longe da luz solar e a temperatura ideal, por volta de 16ºC a 17ºC, tem de ser constante, com pequena variação;

· Ordem correta para se guardar os vinhos na adega: os vinhos mais envelhecidos ficam na parte superior (com temperatura mais alta). Os vinhos mais jovens, na parte inferior, com temperatura mais baixa.

Queijos e vinhos

Para saber qual o vinho que deverá ser servido com determinado queijo, temos que levar em consideração algumas regras:

· Para queijos frescos, vinhos brancos ou tintos suaves, vinhos branco tipo moscatel e espumante ao natural;

· Para queijos fermentados de massa crua, vinhos rosados, tintos mais leves. E sendo servido como lanche pela manhã, tarde ou noite, vinhos tintos.

· Para queijos de massa cozida ou fermentados, vinho branco.


TIPOS DE QUEIJO & ACOMPANHAMENTOS

Queijo Bel-Paese: queijo de massa cozida, meio mole, rico em gordura de forma redonda. É queijo de sobremesa.
Torrada de melba e pão integral. Vinhos rosados e vinhos leves.

Queijo Camembert: queijo de massa crua, fermentado e mole.
Cream crackers, pão integral e pão de centeio. Vinhos tintos encorpados.

Queijo Coboco: queijo tipo prato, rico em gordura.
Torrada melba. Vinhos brancos suaves.

Queijo Emmental: queijo de massa cozida fermentada e meio dura. Denominado queijo suíço.
Torrada melba e o pão de centeio. Vinhos branco suave e branco seco.

Queijo Gouda: queijo de massa cozida e gorda, de cor amarela.
Torrada melba e o pão de centeio. Vinhos rosados e tintos leves.

Queijo de Minas: queijo de massa crua, fresco e mole. Excelente como sobremesa.
Torrada melba e os cream crackers Vinhos branco suave e branco seco.

Queijo do Reno: queijo tipo Gouda, formato de globo, com casca vermelha.
Torrada melba e pão de centeio Vinhos rosados e os tintos leves.

Queijo Roquefort: queijo preparado com leite de ovelha, de massa meio dura, com veias verde-azuladas. Servido com ou sem aipo.
Cream crackers e pão de centeio. Vinhos encorpados.

Tomar vinho

Ao tomar vinho, nunca segure no corpo do cálice. A etiqueta manda que sempre segure na haste.

Veja outros artigos sobre vinhos aqui e aqui .

3 comentários:

Gato Guga disse...

Oi Mary linda,
Este artigo é uma verdadeira aula de etiqueta sobre vinhos, que adoro, mas de todos existentes, o único que sempre tenho em casa para os amigos é o Lambrusco. A dica é que, há muitos lambruscos nas prateleiras dos mercados e se não quiser errar, vá pelo preço. Os mais caros são realmente os melhores. É delicioso e estimulante, se é que me entende? Bjs.

Mary disse...

Oi Guga,
Que bom ler seu comentário, estava sentindo sua falta!
Vinho é muito bom em qualquer ocasião, gosto de dar minhas bebericadas de vez em quando.
Bjs e obrigada

RITA DE CÁSSIA disse...

Parabéns Mary........adorei seu site...farei dele meu guia....abraços