segunda-feira, julho 07, 2008

Bahia tem maior índice de obesidade do Nordeste


A partir de 31 de julho, começa em Salvador (BA) a quinta edição do Bariatric Endoscopy Surgery Trends (BEST) 2008, evento voltado para discutir os procedimentos cirúrgicos e as últimas novidades em tratamentos da obesidade. Com a participação de convidados nacionais e internacionais, serão demonstradas as mais recentes técnicas cirúrgicas no tratamento da obesidade mórbida.

No Brasil há aproximadamente 3,5 milhões de obesos mórbidos, e a falta de qualidade de vida está entre as principais causas do aumento da obesidade, atingindo 51% da população brasileira. Só na Bahia, há 90 mil obesos mórbidos. De acordo com uma pesquisa divulgada pelo Ministério da Saúde, as baianas são a maioria entre as obesas da região do Nordeste, representando 13,7% no ranking das capitais do Nordeste. Deste total, quase metade está entre as faixas etárias mais jovens - de 18 e 35 anos (48%) e de 36 e 55 anos (42,5%), ou seja, a menor faixa de idade responde por quase metade das obesas. Já entre os homens, o índice de obesos coloca a cidade no sétimo lugar entre as capitais do nordeste, com 10,9%.

Segundo dr. Nilton Kawahara, cirurgião da obesidade e coordenador do evento, entre os fatores determinantes para a existência desses dados destacam-se os hábitos alimentares inadequados e a falta de atividades físicas, que costumam ser os maiores causadores da doença. “Na Bahia, consome-se muitos pratos calóricos e ricos em gorduras saturadas que contribuem para o crescimento dos números da obesidade”, explica dr. Kawahara.

“Existem ainda alguns fatores que deixam as mulheres mais suscetíveis à obesidade. O primeiro deles é o metabolismo mais lento em relação ao do homem a partir de uma determinada faixa etária. Além deste fator, tem a gestação na qual a paciente engorda muito e depois não consegue voltar ao peso anterior, por isso uma porcentagem das mulheres chegam à obesidade”, diz dr. Kawahara.

A obesidade mórbida e a cirurgia bariátrica:

Tanto para mulheres quanto para os homens obesos mórbidos, a cirurgia bariátrica acaba sendo uma das únicas alternativas de tratamento, pois o paciente não consegue emagrecer por meio de dietas. Em geral, ele perde entre 10% a 15% do seu peso inicial, mas não consegue avançar.

“As mulheres na faixa etária de 36 a 45 anos representam 30,1% das operadas. Entre 46 a 55 anos, o número cai para 16,4% e acima de 56 anos, para 5,4%. Apesar de ser um número pequeno de mulheres mais velhas que se submetem à cirurgia, é importante ressaltar que é possível aplicar as mesmas técnicas em mulheres idosas. Já operei pacientes com mais de 70 anos e que tiveram uma boa recuperação”, pondera dr. Kawahara.

Os homens também procuram a cirurgia da obesidade: são 31,8% na faixa dos 36 a 45 anos, e 18,6% na faixa dos 46 a 55 anos. “As mulheres são as campeãs porque, além de sofrerem mais com a obesidade, preocupam-se mais com a aparência. Mas esse cenário tende a mudar a medida em que os homens ficam mais vaidosos e passam a se preocupar mais com a saúde”, conclui dr.Kawahara.


PanoramaBrasil

Um comentário:

Milleidy disse...

Muito bom... As pesquisas relacionadas a obesidade.
Legal msm xD