sexta-feira, maio 16, 2008

As longas filas no mercado são a maior reclamação de quem faz compras


Imagine ir a um mercado, encher o carrinho e sair direto pela porta, sem nunca mais ter que esperar enquanto alguém registra item por item da compra.

As etiquetas RFID, um sistema de identificação por ondas de rádio, deverão substituir os códigos de barras na identificação de produtos. A principal promessa desse sistema é que você poderá passar com o carrinho de supermercado em frente ao caixa, e uma antena será capaz de identificar todos os produtos que você está comprando, sem a necessidade de que eles sejam retirados do carrinho.

Teoria e prática

A promessa existe, mas a tecnologia ainda está sendo aperfeiçoada para que possa ser posta em uso. Acontece que, quando todas as etiquetas dos produtos no interior do carrinho se aproximam do leitor, é necessário um mecanismo especial para que todas possam ser lidas.

Normalmente o leitor se comunica com a etiqueta RFID que enviou o sinal mais forte, lê os seus dados e a coloca para "dormir", para que ela não fique transmitindo repetidamente. Então o leitor dá atenção ao próximo sinal mais forte, e assim por diante. O problema é que isso torna o processo muito demorado.

Leitura de múltiplas etiquetas

Agora, engenheiros do Instituto de Tecnologia da Geórgia, nos Estados Unidos, desenvolveram um mecanismo que consegue falar com múltiplas etiquetas simultaneamente.

"Nós projetamos um sistema anticolisão realmente barato, que transmite múltiplos sinais únicos de volta simultaneamente, sem esse complicado processo de vai-volta," explica o pesquisador Gregory Durgin.

Transmissor, receptor e emulador

O sistema possui três partes: um transmissor, um receptor e um emulador. O transmissor envia um sinal de rádio para a antena e o emulador simula a atividade de um circuito integrado. Conectando o emulador à antena gera-se um sinal com um espectro único, que é transmitido para o receptor.

Cada um desses sinais pode então ser separado dos outros, permitindo a leitura simultânea de dados vindos de múltiplas etiquetas. Os experimentos mostraram que o novo sistema consegue medir a potência e a fase de até 256 etiquetas RFID em seu campo de ação, que abrange uma área de seis metros quadrados, mais do que suficiente para uma operação real.


Fonte

2 comentários:

Gato Guga disse...

Tecnologia tem de ser assim, rápido, exato e simples.

Jonny disse...

Na verdade as coisas não são tão simples quanto parecem...

Existem diversos tipos de chips RFID que variam conforme a frequencia da onda que ele trabalha.

Só que cada frequencia tem sua particularidade... algumas não conseguem ler de longe, outros sofrem interferencia de água, outras de metal...

Não existe um chip perfeito por causas físicas que muito provavelmente a tecnologia não irá conseguir resolver.

Se optarem por um chip que sofre interferencia de água, bastaria você colocar uma coisa extremamente cara rodeada por garrafas de água para o preço não ser cobrado...

A Tecnologia é ótima para ser aplicado na área logistica do supermercado (controle de estoque, localização de material, etc), mas estamos muito longe ainda do caixa do supermercado. Infelizmente

abraços

Jonny