quinta-feira, abril 19, 2007

REFORMATANDO A GOSTOSA: CAPÍTULO I

Primeiro cabe a pergunta: mulher é realmente uma coisa gostosa? Há controvérsia. O deputado Clodovil Hernandez (quem diria!), acha que não. Que o sabor de mulher é pior que aspargo azedo. Acha mulher, jiló e Big Brother um saco! Já o ex-presidente Clinton, pensa exatamente o contrário. Sua tese é a de que mulher é uma coisa tão gostosa de até uma simplória estagiária, pode dar conta do recado. Ficaram internacionalmente conhecidos os boquetes na Casa Branca, e a mulher dele, exatamente, como o Lula: não via, não sabia e ainda achava que era uma sórdida estória da oposição! A controvérsia continua, pois apesar da Ângela Ro Ro e a Marlene Bastos, também serem mulheres - segundo a maldita boca do povo - ambas acham que mulher é um negócio tão gostoso que não trocam homem nenhum por uma das suas calientes amiguinhas. Portanto, estamos caminhando por um terreno muito acidentado e de difíceis definições. Supunhetamos (como diria um amigo filosofo), que não há a menor duvida que mulher seja um troço gostoso, só ou acompanhado com fritas. Como ninguém é perfeito, apesar de todos os seus inegáveis encantos esta mulher contemporânea, liberada e globalizada, precisa ser reformatada. Afinal há muitos milênios ela foi criada, numa época, por exemplo, que não se dançava coladinho às danças de salão. Hoje isto é uma febre! Neste caso os seios da mulher estão mal posicionados. Devem ir para as costas. Imagine que maravilha, você dançando de rostinho colado o inesquecível bolero, besame mucho, e suas mão poderem apalpar indefinidamente aqueles seios fantásticos, agora reformatados nas costas da sua parceira. Facilita muito. O processo de apalpação é menos traumático, os peitos do homem não os comprimem de forma indelicada, amarrotando-os de forma perigosa, principalmente, agora com estas bolotas imensas infladas de silicone, pois se evita que eles estourem! Seios nas costas, e estamos conversados! Uma reformatação, inevitável é também necessária na boca da mulher. Ela pode continuar no mesmo lugar, abaixo do nariz, ter dentes, língua e de preferência lábios carnudos, para não ficar parecendo uma boca de caçapa. Porém, é publico e notório que mulher fala demasiadamente demais, em excesso, de forma compulsiva, quase histérica e não pára, nem para respirar. Algumas com o rosto muito próximo do seu, em poucos minutos atiram milhares de perdigotos na sua cara sem a menor cerimônia. Mulher fala demais até mesmo para dizer que não vai dar mais nenhuma palavra com você. Para ela dizer esta frase simplória e objetiva, começa toda uma ladainha lamuriosa a lembrar para o homem, desde a primeira vez que ele a enganou, quando jurou que só ia botar a cabecinha e guardou tudo lá dentro. Um verdadeiro gol de placa! E daí vai para a vizinha que ela acha uma vagabunda, a secretária dele uma p..., e por aí afora. Como reformatar a boca da mulher sem tirar-lhe o poder de sucção imprescindível no beijo e outras brincadeirinhas menos inocentes? A única possibilidade é a circuncisão da língua. Uma cirurgia banal que retiraria o cabresto e a tornaria conhecida com língua presa. Vai melhorar, mas a chateação, no entanto, vai continuar, porque ela passará a mandar e-mail, os mais mal criados e ofensivos, a cada minuto. É complicado! A posição das coxas na mulher, também não é das mais estratégicas. Coxa de mulher é um membro tão bonito que deveria ficar no rosto. Nariz é que está mal colocado. Nariz é feio, orelha é feio, só os olhos podem ter lugar cativo no rosto. Como as coxas não podem ir para o rosto, o negócio é os homens levarem os seus rostos até as coxas e, já que estão ali tão próximos do parque de diversão, aproveitarem ao máximo todos os brinquedos! Agora é o momento mais delicado das nossas propostas de reformatação deste ser que menstrua e, que pariu a todos nós. Vamos tocar no lugar mais delicado: a perseguida. Tem muitos adjetivos que a qualificam e as desqualificam, mas estes não os mencionarei, porque respeito muito as entranhas das minhas origens. Os cognomes são: perereca, cavernosa, antiestresse, aranha, vagina (esta eu não conhecia), área de lazer, babaca, barata, boca do Enéas e beiçuda. Estes entre os mais de cinco milhões de apelidos são os mais palatáveis e publicáveis. Reparem que os homens a chamam de beiçuda. E aqui começa o processo de reformatação. São gostosas, lógico são tão gostosas que ficam bem escondidas porque senão homem nenhum trabalhava. São bonitas? Aí é outro papo! Bonita não. Porque, com exceção dos ginecologistas, ninguém é obrigado a ficar encarando-a como se estivesse fazendo exame de vista! Uma das soluções para enfeitar mais as beiçudas seria pintar os pequenos lábios com um batom carmim e os grandes lábios com uma cor mais suave, por exemplo, um batom marrom clarinho. Pintados ambos os lábios de preferência com batom antialérgico, poderiam ser colocadas algumas tatuagens bem pequenas à sua volta, como borboletinha, pica-pau, beija-flor, rosinha em botão, setinha de mão e contra mão, cumprimento da carroceria e peso máximo permitido, e finalmente: preço do pedágio.
Autor: Paulo Tamburro

Nenhum comentário: