segunda-feira, março 19, 2007

A saga de Cotoco

CAPÍTULO I

COTOCO NA PRAIA

Cotoco era um menino muito triste, pois não tinha os dois braços e as duas pernas.
Os amigos sempre tentavam levá-lo pra passear e se divertir. Mas Cotoco não aceitaava.
Um dia o pessoal resolveu ir à praia.
- Vamos levar o Cotoco - sugeriu um dos amigos
- É isso! Vamos, Cotoco, nós vamos pra praia e você vai com a gente.
- Não, de jeito nenhum! - recusou Cotoco. Vocês não vão se divertir se me levarem....
- O que é isso, Cotoco! A gente vai revezando e cuida de você.
De tanto insistirem, Cotoco resolveu ir. Chegando lá os amigos o colocaram bem na beirada da água, no rasinho e ele ficou ali brincando. Mas os amigos se distraíram e por alguns momentos se esqueceram de Cotoco. De repente, a maré começou a subir, e uma onda mais volumosa começou a se formar. Vendo aquela massa d'água vindo em direção à praia, Cotoco se desesperou:
- Socorro! Socorro! - gritava sem parar.
Foi aí que um camarada, que já tinha tomado algumas, vendo Cotoco ali na beira do mar, o pegou nos braços. Cotoco respirou aliviado:
- Ufa! Agora estou salvo...
Porém o bêbado entrou para o mar e atirou Cotoco violentamente contra as ondas:
- Vai, tartaruguinha... volta pro fundo do mar e seja feliz.



CAPÍTULO II

COTOCO, O GRANDE NADADOR

Cotoco, atirado no mar pelo banhista bêbado, via seu fatídico e trágico fim debatendo-se nas ondas. Mas, eis que aconteceu o milagre:
Cotoco começou a nadar vigorosamente com as orelhas!
Salvou-se e virou uma celebridade. Nadador fenomenal. Apareceu no Fantástico, deu entrevista no Jornal Nacional, ganhou destaque no Show do Esporte e
foi covocado para os Jogos Para-Olímpicos.
Chegou o grande dia de estréia nas para-olimpíadas!
Cotoco é lançado na piscina para a prova de natação, mas para espanto geral, o grande nadador afunda e fica estático no fundo da piscina. Às pressa, é retirado imediatamente para fora d'água e recebe socorros médicos.
Ainda assustado com o grupo de curiosos que se forma à sua volta, Cotoco vai recuperando o fôlego. Todos esperam uma explicação para
tamanho fracasso, até que Cotoco consegue finalmente dizer:
- Quem foi o filho da puta que me colocou essa porra dessa touca?


CAPÍTULO III


COTOCO NO CIRCO

Depois da quase trágica aventura no mar e da sua curta carreira como nadador, Cotoco foi levado pelos amigos a um circo.
Apresentava-se o domador de leões, quando um dos animais escapou da jaula e foi para cima do público. Pânico geral. As pessoas começaram a correr de um lado para o outro, e os amigos do pobre Cotoco deram no pé.
Cotoco se debatia nas arquibancadas na tentativa de sair dali.
Alguns, ao verem o pobre deficiente, gritavam para que alguém o acudisse:
- Olha o aleijado! Olha o aleijado!
E cotoco ali, indefeso, debatendo-se cada vez mais pelas arquibancadas.
- Olha o aleijado! Olha o aleijado! - continuavam os gritos.
E cotoco, já irritado respondeu:
- Vão se foder, seus filhos da puta! Deixem o leão escolher sozinho!



CAPÍTULO IV


O CASAMENTO DE COTOCO

Certa vez, uma viúva rica e solitária decidiu ter um outro homem em sua vida. Colocou um anúncio no jornal:

"Viúva rica procura por homem para compartilhar vida e fortuna.
Requisitos necessários:
1 - Não me bater.
2 - Não sair sem mim.
3 - Ser excelente na cama."

Por muito tempo o telefone da viúva tocou incessantemente. Sua campainha não parava mais e centenas de cartas lhe chegavam pelo correio. Mas nenhum dos pretendentes se enquadrava nas qualificações exigidas no anúncio.
Certo dia, porém, a campainha tocou novamente. A mulher abriu a porta e... surpresa!!! Quem estava do lado de fora aguardando!?
Ele mesmo, Cotoco, sem braços nem pernas, deitadinho ali no tapete da porta.
Perplexa, a viúva perguntou:
- Quem é você? E o que você quer?
- Olá! - cumprimentou Cotoco. Sua busca terminou! Sou o homem dos seus sonhos. Eu não tenho braços, logo não posso te bater. Não tenho
pernas, portanto não posso sair sem você.
- Bom... - interrompeu a viúva - e o que te faz pensar que é tão bom na cama?
Cotoco, orgulhoso, respondeu:
- E como você acha que toquei a campainha?
E Cotoco viveu feliz para sempre!
... E a viúva também.


colaboração:Ilsim

Nenhum comentário: