segunda-feira, março 19, 2007

Castanha-do-pará é usada no combate à desnutrição
















Quando falamos em castanha-do-pará, amêndoas, nozes, avelãs, muitas pessoas lembram que só na época das festas de final de ano devemos comê-las, na verdade devemos tê-las em nossa dieta diariamente devido as suas proteinas e valores nutricionais além disso contém o elemento selênio que combate os radicais livres e muitos estudos o recomendam para a prevenção do câncer (cancro ou tumor). Pesquisadores analisaram o consumo de farinha de castanha por crianças no Acre e os resultados foram considerados positivos.
Um projeto desenvolvido no Acre tem incentivado o preparo de alimentos com farinha à base de castanha-do-pará como alternativa para reduzir os elevados índices de desnutrição no estado.
A castanha-do-pará, é uma amêndoa oleaginosa, de alto valor energético e rica em proteína. Por estes e outros valores nutricionais, pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e professores da Universidade Federal do Acre iniciaram um estudo em 2005 e analisaram os resultados obtidos a partir do consumo dessa farinha por crianças na Amazônia.

O projeto Castanha Nutre foi desenvolvido durante oito meses com 150 crianças do Bairro Triângulo Novo e Taquari, na cidade de Rio Branco.

Segundo o coordenador do projeto, o nutricionista Pascoal Muniz, ao longo do trabalho as crianças apresentaram resultados satisfatórios. “Essa proposta que criamos com a Embrapa, uma parceria da secretaria de Saúde de Rio Branco, mostra que é preciso uma reavaliação das políticas públicas nesses bolsões de pobreza. Por isso precisamos acompanhar cada criança, cuidar, verificar a alimentação e usar os recursos regionais para recuperá-las.”

O projeto Castanha Nutre teve apoio do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate a Fome. Além da castanha-do-pará, estão sendo realizados estudos com outros produtos regionais da Amazônia para serem utilizados como alternativa na recuperação de crianças desnutridas no Acre.


via G1

Nenhum comentário: